Simply enter your keyword and we will help you find what you need.

What are you looking for?

Good things happen when you narrow your focus
Welcome to Conference

Write us on info@evently.com

Follow Us

  /  Eventos   /  Na COP 25, Itaipu e UNDESA promovem debate sobre ações climáticas e a Agenda 2030
ITAIPU BINACIONAL

Na COP 25, Itaipu e UNDESA promovem debate sobre ações climáticas e a Agenda 2030

Benefícios gerados pelas áreas protegidas e projetos ambientais são temas de estudos de caso que serão apresentados em Madri, durante a Conferência Mundial do Clima.

As contribuições da Itaipu Binacional para o Acordo de Paris e para as metas da Agenda 2030 são a temática principal de dois eventos que serão realizados em parceria com o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU (UNDESA), nos próximos dias 7 e 9 de dezembro, em Madri (Espanha), como parte da programação paralela da 25ª Conferência Mundial do Clima (COP 25).

Os eventos fazem parte da parceria Itaipu-UNDESA “Soluções Sustentáveis em Água e Energia”, que tem como objetivo compartilhar, com instituições e governos de todo o mundo, boas práticas na promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 6 (Água Potável e Saneamento) e 7 (Energia Limpa e Acessível), e suas conexões com os demais ODS que compõem a Agenda 2030 das Nações Unidas.

“Itaipu é uma empresa que tem como missão principal a geração de energia a partir de uma fonte renovável, que é a hidrelétrica. Mas, para fazer isso no longo prazo, ela investe em diversas ações que têm como objetivo garantir a qualidade e a quantidade de água, beneficiando também outros usos do reservatório, como o abastecimento municipal, a produção agropecuária e a manutenção da biodiversidade. E, dessa forma, contribui com o desenvolvimento sustentável da região”, afirma o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

Para proteger seu reservatório, a Itaipu mantém mais de 100 mil hectares de áreas protegidas. Em 2018, a margem brasileira foi reconhecida como Reserva da Biosfera pela Unesco, título que a margem paraguaia já havia recebido no ano anterior.

Essas áreas respondem por diversos serviços ecossistêmicos (serviços que a natureza presta gratuitamente), tais como: a captura anual de quase 6 milhões de toneladas de carbono equivalente (contribuindo com as metas do ODS 13 – Ação contra a Mudança Global do Clima); permitem a circulação de animais e a dispersão de sementes, atuando como corredores ecológicos para as espécies de flora e fauna (ODS 15 – Vida Terrestre); ajudam a infiltrar a água no solo e protegem nascentes e corpos d’água, prevenindo o aporte de sedimentos (ODS 6); além de aumentar a vida útil do reservatório, garantindo a geração de energia limpa e renovável no longo prazo (ODS 7).

A atuação em relação aos ODS 6, 7, 13 e 15 será detalhada em estudos de caso que serão lançados em Madri, com a presença do subsecretário executivo da UNDESA, Liu Zhenmin, que afirmou que “toda grande empresa deveria conhecer a experiência da Itaipu sobre como colocar em prática a Agenda 2030 do Desenvolvimento Sustentável”.

“Os cuidados ambientais com o entorno do reservatório e as demais ações que a empresa empreende nesse território beneficiam não apenas para a geração de energia, mas a região como um todo. Esse é um conceito hoje presente na estratégia da empresa. Faz parte do nosso negócio”, avalia o diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell.

Além de Carbonell e Silva e Luna, a delegação da Itaipu também contará com o diretor-geral paraguaio, Ernst Bergen, do conselheiro do Paraguai, Gerardo Blanco, do chefe da Divisão de Reservatório e Áreas Protegidas – Margem Paraguaia, Hilario Hermosa, e do superintendente de Gestão Ambiental – Margem Brasileira, Ariel Scheffer da Silva.

Contribuições da Itaipu para o Acordo de Paris

A Conferência das Partes (COP) ocorre anualmente, reunindo os países-membros da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC). Suas decisões são sempre de forma coletiva e consensual e só podem ser tomadas por unanimidade entre as partes.

Em 2015, a UNFCCC produziu o Acordo de Paris, ratificado por 183 países e pela União Europeia, com o objetivo principal de somar esforços para manter a elevação da temperatura global no máximo até 2°C acima dos níveis pré-industriais. Para isso, cada país signatário apresenta sua Contribuição Nacionalmente Determinada (NDCs, em inglês), com ações e compromissos para limitar o aquecimento.

A Itaipu colabora com os compromissos assumidos tanto pelo Brasil como pelo Paraguai, com o fornecimento de energia renovável em abundância (a produção anual é de cerca de 90 milhões de Megawatts-hora), ações de restauração florestal e estímulo a práticas ambientalmente corretas na agropecuária (como o plantio direto, que reduz as emissões da agricultura, e o uso de dejetos da pecuária para a produção de energia elétrica, térmica e veicular), entre outras.

Serviço:

Evento técnico organizado pela Itaipu e UNDESA
Data: 07/12/2019
Parte I (9h30-11h): UNDESA – Água e Energia, Estudos de Caso dos ODS.
Parte II (11h30-13h): Itaipu – Soluções em Água, Energia e Serviços Ecossistêmicos.
Participantes: Representantes da Itaipu; Secretário de Relações Internacionais do Ministério de Meio Ambiente do Brasil, Roberto Castelo Branco; Diretor-geral de Água do Ministério para a Transição Ecológica da Espanha, Manuel Menéndez; chefe do programa de Mudança Climática e Biodiversidade da ONU, Valeria Kapos; diretor do Diretório Nacional de Mudança Climática do Ministério do Meio Ambiente do Paraguai, Ulises Lovera.
Local: Espaço ODS (UNDESA), COP 25, IFEMA (Madrid).

Evento de alto nível organizado pela Itaipu e UNDESA
Lançamento de estudos de caso sobre a Itaipu e os ODS, e do Relatório Global e Base de Dados em Soluções de Água e Energia em Relação a Mudanças Climáticas.
Participantes: Diretores da Itaipu, subsecretário-geral da UNDESA, Liu Zhenmin, membros da Rede Global de Soluções Sustentáveis em Água e Energia.
Data: 09/12/2019
Horário: 11h-12h15
Local: Espaço ODS (UNDESA), COP 25, IFEMA (Madrid).

A Itaipu
Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,6 bilhões de MWh. Em 2016, a usina brasileira e paraguaia retomou o recorde mundial anual de geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh. Em 2018, a hidrelétrica foi responsável pelo abastecimento de 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.

OBSERVAÇÃO: A ITAIPU esclarece que, por força de seu Estatuto, a presente mensagem não implica a assunção de obrigações em seu nome.
Compartilhar
Bitnami